segunda-feira, 13 de junho de 2011

Mas você é mão de vaca?

Não sou. Tenho hábitos simples. Um dos livros que mais me trouxe inspiração para minha jornada e que bate muito com minha visão de consumo é o "Milionário mora ao lado" de Thomas J. Stanley.
 http://www.submarino.com.br/produto/1/81785/milionario+mora+ao+lado,+o
É um livro que passa longe dos chatos auto-ajuda, é um estudo em que o autor debruça-se sobre diversos milionários dos EUA, por 20 anos, e acaba por quebrar alguns paradigmas que permeiam a imagem do estilo de vida dos milionários concebido por nós meros plebeus.
A grande maioria dos ricaços não moram em casas milionárias (valor médio encontrado na pesquisa é de U$320k), eles usam relógios Seiko, compram roupas na JC Penney ( a Renner de lá), não financiam e não tem o carro do ano, gastam em média US$150 em tênis e, mais interessante, não herdaram herança . Eles, em resumo, vivem abaixo de suas capacidades financeiras e acreditam que liberdade financeira é mais importante que status social.
Estou com eles (apenas nos pontos de vista...rs), "cago e ando" para aquele restaurante estrelado (respeito quem tem prazer em frequentá-lo), não ligo para aquela cerveja belga, não quero aquele notebook que cabe em um envelope e muito menos o smartphone que conecta com todas as redes sociais. Quero liberdade dessa vida diária estressante, quero fazer um curso de línguas às 15:30 de uma terça-feira (bizarro, né?).
E vc? Já leu o livro? Não perca tempo, está aí um dinheiro que será muito bem gasto.

12 comentários:

  1. Cara...
    Comprei um smartphone e estou achando bacana demais! rs
    Sou meio psicopata com internet...rs
    Cada um tem seus prazeres na vida.
    Volto a enfatizar. Analise na sua planilha de projeções futuras o impacto do gasto do que vc quer comprar.
    Outra questao é saber o que vc só pode fazer agora e que vc nao poderá fazer daqui a uns 10 anos, mesmo com o dinheiro no bolso.
    abs!

    ResponderExcluir
  2. Livro fantástico, do tipo "você deve ter". Sem ele, possivelmente eu não estaria onde estou hoje.

    ResponderExcluir
  3. ID, tudo certo por aí? O texto talvez tenha soado austero demais. Note que viajo uma vez por ano para o exterior e gosto de comprar uns brinquedinhos por lá...rs.

    HV, prazer tê-lo por aqui. Quando crescer quero ser igual a vc..rs. Eu descobri esse livro no seu blog, esqueci de citar isso. Valeu pela visita e pela dica do excelente livro.

    ResponderExcluir
  4. Cada um curte "torrar" a grana com alguma coisa, o problema é qd isso torna-se um vício e é feito de maneira indiscriminada. Eu, por exemplo, gasto uma boa quantia mensal com baladas, porém tenho uma cota pra isso, o mesmo acontece com viagens. Pra me dar à esses luxos ando de carro popular e moro num micro-ap ambos do tamanho da minha necessidade. Outra pessoa pode "precisar" de um carro maior e não gosta de sair de noite, então gastará mais dinheiro mantendo o carro. Simples assim!

    O superfluo nunca deve ser eliminado, o desperdício sim! O superfluo é o que dá gosto na vida e "tesão" pra continuar, o desperdício é a grana que vai todo mês pelo ralo e que quase sempre não nos damos conta.

    ResponderExcluir
  5. Olá, Corey!
    Perfeito seu comentário. Concordo em gênero, número e grau. Só não te imaginava baladeiro (nada contra).
    Abs!

    ResponderExcluir
  6. Rsrsrs!! Minha esposa e eu somos baladeiros sim, mas com moderação: temos uma cota pra torrar com isso, se acabar numa noite não tem problema, mas aí só sairemos novamente no mês que vem!!!

    ResponderExcluir
  7. Li sobre este livro no livro do Cerbasi mas ainda não o li. Não diria que sou compulsiva nem tenho hábitos caros, talvez precisasse ganhar um pouco melhor. Sigo lendo seus posts (sim, todos de uma vez).
    Michelle

    ResponderExcluir
  8. Oi, Michelle.
    Sabia que vc é a 1ª mulher, publicamente identificada, a deixar um comentário aqui? Gostei! Espero que tenha gostado também do meu modesto blog. Pelo que entendi vc vai ler todas as postagens em uma tacada só, depois diga o que achou, tudo bem?
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Cara ultrapassei a barreira do 1 milhão em março deste ano (aprox. 1,2 m) mas digo coisas tão importantes quanto ditas aqui: continuo com o mesmo carro , continua tudo igual para os outros. Apenaso gerente do banco tem visão de raio x e vive me ligando. Discordo de algumas coisas como: 1 milhão hoje vale mais que um milhão daqui a 10 anos, isto é muito relativo pois hoje compro uma calculadora por 1,99 que tinha que pagar mais de 100 reais. Existem coisas que vão chegar no seu valor máximo , algumas vão aumentar e outras irão baixar. Existirão coisas que você poderá substituir por mais baratas e outras não....

    ResponderExcluir
  10. Anônimo, meus parabéns pelo marca. Vc me parece ser o tradicional milionário, não aquele que habitam o imaginário e os sonhos da classe C. Seria bem legal ouvir sua história completa, quando começou a investir, casado, filhos...Se quiser conta aqui, ou por email, se não quiser tudo bem tbm.

    Abs!

    ResponderExcluir
  11. Oi! Uma opinião, eu também estou nessa busca, mas tenho o notebook do envelope e o smartphone porém o meu foco não esta voltado para a redução de despesas e sim para o aumento da receita passo 100% do meu tempo bolando maneiras de aumentar o meu aporte sem ter que podar totalmente meu consumo.

    Abraço

    ResponderExcluir